Páginas

sábado, 22 de dezembro de 2012

Meio Desabafo: Dom Casmurro, por Machado de Assis



Podem me chamar de louca, mas eu gosto de ler clássicos. Sério, todos os meus colegas reclamam, mas leio os livros com a maior vontade. No final desse ano na escola, tive que ler Dom Casmurro, de Machado de Assis, e por mais que joguem pedras nessa literatura tão antiga, digo sem problemas que gostei do livro.
Sim, gostei de ter a oportunidade de ler um exemplar que jamais iria acordar e escolher na minha estante. Porque a verdade é que nos acomodamos com a leitura. Um leitor que ama os romances fofos entre adolescentes, vai sempre correr para essa prateleira quando estiver em uma livraria, esquecendo tantos outros títulos que podem estar o esperando logo à frente. 
Somos adolescentes, amamos facilidade, mas parando para pensar, se você é capaz de ler - e entender- um livro como esse, irá adquirir uma habilidade de interpretação das narrativas atuais, ainda melhor do que antes. Dom Casmurro trás um Rio de Janeiro antigo, com uma narrativa pausada, uma linguagem que antes era tão normal e agora virou erudita. 
Resumindo: é tudo tão diferente! Livros já te levam para outros lugares e a aventura passa a ser melhor ainda quando você vai para outra época. Conhecer Bentinho e tentar entender as suas confusões internas faz você pensar e repensar cada situação. Machado deixou o leitor participar da história e não é qualquer autor que faz isso.O livro conta basicamente a história de amor entre duas crianças, que depois de certos obstáculos e muitas voltas, acabam por ficar juntos. Conhecemos muitos personagens e seus costumes, tudo pelos olhos de Bentinho, o personagem principal. 

Quem tiver coragem de se render, depois me avisa, e não se esqueça de acrescentar se você defende ou não a Capitu! 

Até a próxima.  


2 comentários:

  1. Gostei da coragem de escrever esse artigo.
    És tão boa escritora que me convenceu sobre certo fato: nós nos acomodamos e deixamos de ler certas histórias tão boas por causa da preguiça de parar um tempo para interpretar uma linguagem antiga (não tão difícil); e por causa da ansiosidade para ler uma história corrida, sem parada para reflexões de coisas que são importantes na narrativa.
    Mudastes o meu modo de pensar com este artigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado, Marcelo!
      Infelizmente esse fato da acomodação é verdade mesmo, você fez um ótimo comentário!
      beijos!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...